9 de out de 2017

Arte e Censura

Eu me dispo de todo o julgamento ignóbil e insano,
de todo o ódio barato,
toda a ignorância violenta,
falsa sabedoria,
moral construído sobre castelos de areia, 
E da fé infame, que não respeita.
Eu me dispo de tudo o que me habita
e que me chega do outro.
Sou livre!
E minha inefável vestimenta é tecida com LIBERDADE!
Viva a mãe que vai para a direita!
Viva a mãe que vai para a esquerda!
Direção não importa, há muitos caminhos
e todos são do mapa.
Viva o Cristo diferente:
o desenho dele não vai mudá-Lo!
Que venha um Censor e muitos ativistas...
"artivistas" e artes vistas.
Temos muitos doutores...
mas poucos se salvam de si mesmos.
(Cíça Mora)


Postar um comentário