7 de ago de 2012

Certificado de Autenticidade

Olá, pessoal.

Em todas as exposições onde sou Curadora, as obras expostas ficam à venda.

Quando não estão à venda, coloco nas etiquetas: "Acervo Particular".

Ou porque o autor não quer vendê-la ou porque ela já pertence a alguma outra pessoa e só foi gentilmente emprestada ao Curador, para a exposição.

Quando eu vendo uma peça, o valor recebido por ela segue integralmente para o artista. Nem eu nem o evento ficamos com percentagem de venda. Isso facilita a venda e ajuda o artista.

Todos os eventos sérios certificam, individualmente e por obra, a participação do artista, seja em exposição ou concurso.

Portanto, um Certificado de Participação sempre é devolvido ao artista, juntamente com sua obra, no pós evento.

Um Certificado onde consta o nome da obra, do artista, data e local do evento onde ambos participaram.

Isso valoriza o trabalho exposto e o percurso artístico de cada autor.

Quando um trabalho é vendido, entretanto, há outro certificado:  o Certificado de Autenticidade.

Quando comecei a atuar em Curadoria, no segmento Têxtil, já na primeira exposição providenciei para que as peças vendidas, feitas em Quilt Art, fossem tratadas como objetos de arte. Portanto, as que foram vendidas foram entregues aos compradores já com este Certificado.

E como ele é?

Na verdade, depois de pesquisar muito e não achar nada a respeito, criei um modelo, pois não encontrei nenhuma bibliografia a respeito.

No segmento onde atuo, não há o hábito de vender um trabalho e entregá-lo com este documento. 

Infelizmente isso parece não acontecer apenas no segmento da Arte Têxtil. 

Portanto, este modelo que criei pode servir para todas as outras linguagens artísticas, dada a sua importância.

O meu modelo tem 3 folhas de A4 (papel sulfite) e é entregue numa pasta, ao comprador. 

Primeira Folha: Foto da obra, o maior que couber ali, e em cores. Pode ser impressa em papel de fotografia ou impressa no próprio sulfite, desde que fique clara e dê para vê-la integralmente.
A foto é a formalização, a documentação da respectiva obra.

Segunda folha: Fazer uma foto como marca d'água bem grande, na folha toda, ao fundo, e seguir um dos dois modelos sugeridos abaixo: Certificado de Autenticidade de Obra de Arte ou Certificado de Autenticidade de Releitura de Obra de Arte.

*Atenção: quando tratar-se de uma Releitura, para que haja concordância com as Leis que regem os Direitos Autorais é necessário(e obrigatório) que, antes de começar a fazer a obra, o autor da Releitura obtenha autorização(por escrito. Vale e-mail) do autor da obra a ser relida.

Terceira folha o recibo de compra e venda.É sempre a terceira folha do Certificado.

O recibo de compra e venda confere, legalmente, a transferência da propriedade da obra.

Deve ser feito sempre em duas vias: uma para você e outra para o comprador.

Aliás, o ideal é fazer duas vias de tudo: uma para o quem está vendendo e outra para quem está comprando.
Mas cuidado: tire duas cópias e assine a ambas separadamente, ok? Nunca tire xerox de sua assinatura. Isso tira a legalidade da obra, em ambos os sentidos.

Modelos:

Certificado de Autenticidade de Obra de Arte

Eu,(nome completo do artista), de nome artístico XXXXX, certifico que a obra abaixo especificada é autêntica, exclusiva e de minha autoria. Este certificado é parte integrante da obra aqui descrita. Nome da obra(Nome completo da obra, escrita apenas em letras maiúsculas). Linguagem artística:(Descrever a linguagem artística utilizada. Por exemplo: Quilt Art, Pintura, Cerâmica, Bordado, etc.). Materiais utilizados(Descrever os materiais  utilizados). Técnicas aplicadas(Descrever as técnicas utilizadas, o conceito da obra, se foi à mão ou à máquina, etc.). Dimensões da obra:(Primeiro a largura, depois a altura e depois outros dados, caso ela seja dimensional: profundidade, volume, peso, etc.). Data (Aqui você coloca o mês e o ano em que a obra foi terminada. Mesmo que ela tenha sido iniciada há meses ou anos). Mas isso fica para você guardar com você. Local, mês e ano e assinatura legal, pois será reconhecida em Cartório, CPF e e-mail.           

Modelo criado para as Releituras:

Certificado de Autenticidade de Releitura de Obra de Arte

Eu, (nome completo do artista), de nome artístico XXXXX, certifico que a obra abaixo especificada é uma releitura de obra de Arte do artista (Nome completo do artista) e da obra original denominada XXXXX. Este certificado é parte integrante da obra aqui descrita. Nome da obra (Nome completo da obra, escrita apenas em letras maiúsculas). Linguagem artística: (Descrever a linguagem artística utilizada. Por exemplo: Quilt Art, Pintura, Cerâmica, Bordado, etc.). Materiais utilizados(Descrever os materiais utilizados). Técnicas aplicadas(Descrever as técnicas utilizadas, o conceito da obra, se foi à mão ou à máquina, etc.). Dimensões da obra:(Primeiro a largura, depois a altura e depois outros dados, caso ela seja dimensional: profundidade, volume, peso, etc.) Data:(Mês e o ano em que a obra foi terminada, mesmo que tenha sido iniciada há meses ou anos). Local (São Paulo, Rio de Janeiro, etc.) e Assinatura do lado direito da folha (a mesma usada nos documentos, pois esta folha deve ser reconhecida em Cartório, mais CPF e e-mail.     

Abaixo, o meu modelo para dois tipos de recibo: para obras autorais e para releituras de Obras de Arte.

RECIBO DE COMPRA E VENDA DE
RELEITURA DE OBRA DE ARTE

Eu, (nome completo do artista que está vendendo ou do seu representante legal, e neste caso deve ser anexado aos documentos cópia da procuração legal), de nome artístico XXXX, sob o registro de CPF  XXXX, recebi de (Nome completo do comprador), portador do CPF XXXX o valor de R$ XXXX (escrever o valor por extenso). O valor recebido refere-se à venda e à transferência total e irrestrita da Releitura da Obra denominada XXXXX (nome da releitura da obra escrita em letras maiúsculas), ao comprador supracitado. Local, mês, ano e assinatura.

E abaixo o segundo modelo de recibo:

RECIBO DE COMPRA E VENDA DE OBRA DE ARTE

Eu, (nome completo do artista que está vendendo ou do seu representante legal, e neste caso deve ser anexado aos documentos cópia da procuração legal), de nome artístico XXXX sob o registro de CPF XXXX, recebi de XXXX (Nome completo do comprador), portador do CPF: XXXX o valor de R$ XXXX (escrever o valor por extenso). O valor recebido refere-se à venda e à transferência total e irrestrita da obra (nome da obra escrita em letras maiúsculas), autêntica, exclusiva e de minha autoria, ao comprador supracitado. Local, mês, ano e assinatura.

Sempre que fizer um trabalho artístico, providencie tudo isto.

É importante que, antes das pessoas valorizarem o seu trabalho, você mesmo os valorize.

Fazendo isto também estará valorizando o segmento ao qual pertence.

E valorizando também o investimento de quem escolheu comprar sua obra.

Toda essa documentação confere valor e autenticidade à obra, mesmo que ela seja uma releitura.

Portanto, não seja displicente , ok?

Tomando essa providências simples logo que finaliza um trabalho você contribui com a História da Arte.

Porque mesmo que nunca atente para isso, o seu trabalho diz muito da época em que você vive.

Facilite o trabalho de catalogação de arte, no futuro.

Até para você mesmo é bom esse controle, pois quando precisar de alguns dados, tudo estará lá, guardadinho pra quando você precisar. 
Porque, creia-me: você vai esquecer!

Então, mãos à obra!
Catalogue tudo a partir de hoje e corra atrás de catalogar os seus trabalhos anteriores.

Mas cuidado: Certificados devem ser dados apenas a objetos de arte, ok?

Se quiser dar propriedade a trabalhos que sejam de uma linha particular de produção, e lhes quiser dar exclusividade, então isso é outra coisa.

Nesse caso, mande fazer uma marca, etiquetas, etc.

Obra de arte é obra de arte.
É única.
É exclusiva.
É autêntica.

Beijos a todos.
Postar um comentário